Quando se faz um investimento tecnológico numa empresa, espera-se que o retorno do investimento promova a melhoria dos produtos, incluindo a redução do tempo de desenvolvimento, a redução da quantidade de protótipos, a economia de recursos e, consequentemente um aumento dos lucros e da competitividade da empresa.

Nos últimos anos, o alto custo de desenvolvimento de produtos tem sido um problema para a grande maioria das empresas. Cada vez mais os empresários procuram alternativas para diminuir esses custos, principalmente em novas tecnologias, quer seja em software ou em máquinas.

Uma das tecnologias em especial, tem chamado à atenção até às pequenas empresas que até então não tinham a capacidade de investir neste tipo de software, que por norma era extremamente caro, a simulação computacional.

Estes softwares permitem simular o funcionamento do produto para saber antecipadamente, o seu comportamento, mesmo antes de ser colocado em produção.

Com a simulação é possível saber quais os pontos fortes e fracos do projeto e corrigir possíveis erros, uma vez que permite testar diferentes possibilidades ainda na fase de desenvolvimento.

Imagine quanto a sua empresa pode lucrar evitando o desperdício de tempo e recursos, prevendo antecipadamente possíveis erros, evitando custos de reparação de falhas encontradas tardiamente, não falando nos danos que uma falha pode causar à imagem da sua empresa.

Portanto, simular virtualmente o funcionamento de um produto faz com que todos os procedimentos e etapas de desenvolvimento sejam mais bem planeados e executados, consequentemente permitindo o sucesso na implantação e aceitação do produto no mercado.

Como investir corretamente num software de Simulação Computacional?

O primeiro passo para quem quer investir num software de simulação é, segmentar a empresa pelos diversos departamentos e perceber onde esta tecnologia pode ser mais rentável. Cada setor pode contribuir com informações relevantes para o processo de aquisição, buscando quantificar a economia de recursos, ou o aumento da receita, que podem ser obtidos pelo uso do software de simulação.

  • Engenharia: redução do tempo de desenvolvimento, redução ou eliminação de protótipos e teste experimentais, entre outros.
  • Produção: melhoria do processo, ou em alguns casos, alteração do processo de produção.
  • Qualidade: redução ou eliminação de falhas no terreno e ocorrências de recall.
  • Compras: redução de recursos pela compra de materiais mais baratos, que também cumpram a necessidades do projeto.
  • Comercial: aumento da receita por vender produtos com melhorias implementadas pelo software.

O passo seguinte será calcular o ROI (return on investment) e consolidar todas as informações para a toma de decisão.

Depois da aquisição do software, é realizada a fase de implementação. São realizadas formações para que os colaboradores possam ter o domínio sobre a ferramenta.

Somente empresas altamente especializadas na comercialização de softwares de engenharia são capazes de apresentar soluções ideais adequada a cada tipo de empresa.

Os softwares de simulação não servem apenas para testar produtos em fases finais de desenvolvimento e não podemos pensar que demoram uma eternidade a fazer os cálculos de simulação. Hoje em dia já existem ferramentas disponíveis que conseguem fazer simulações em tempo real enquanto projeta. O PTC Creo Simulation Live permite-nos isso mesmo, simular as nossas peças/produtos em fases iniciais de desenvolvimento e em tempo real.

Teste agora mesmo os seus produtos com uma versão trial do PTC Creo Simulation Live.

Faça o download aqui

PTC Creo Simulation Live